quarta-feira, abril 05, 2006

Hands On: Gradius Portable

Para calar a boca de quem diz que não tem jogos bons para o PSP.


Depois de
quase comprar um Gradius Portable original e subir o firmware do PSP para 2.X para rodá-lo, consegui uma ISO crackeada na net e pus as mãos nessa pequena maravilha. Sem fanboyzice, sem exageros, Gradius Portable é o sonho de todo fã de shooters, de Gradius e de jogos antigos em geral. Trata-se de uma coletânea muito bem-feita, contando com os títulos: Gradius 1, 2, 3, 4 e Gaiden, além de uma galeria de filmes (aberturas de PSX e PS2) e um completíssimo sound-test dos jogos presentes.



O capricho da Konami na apresentação gráfica não é nenhuma novidade!


Aí, você coloca essa maravilha no seu PSP e vai jogar. E, logo nos primeiros segundos, vai começar a me odiar por ter falado tão bem dela no parágrafo de cima. Sim, o controle do PSP é um desastre! O próprio videogame, tão ergonômico quanto uma jaca, aumenta ainda mais a dificuldade da série Gradius (que já não é brincadeira). Jogar no analógico ainda vai, no digital, nem sonhando. Mas, depois de um booom tempo de treino, você se acostuma com a idéia e o controle fica quase satisfatório. A única solução que eu encontrei para deixá-lo melhorzinho foi colocar os botões de rapid shot e rapid missile no R e o de power up no X, o que proporciona uma maior distância entre os dedos da mão direita, não detonando a sua mão enquanto você joga. Além do que, com isso, você não fica apertando os botões o tempo todo, o que já ajuda um bocado a lidar com a anti-ergonomia do PSP. Tal estranhamento do controle me espantou, pois em Super StarSoldier (já citado aqui) ele é simplesmente perfeito! Acho que o pessoal da Hudson, por ter desenvolvido o jogo exclusivamente para PSP, tomou o cuidado de calibrar o controle até ficar excelente, coisa que a Konami não fez direito, diga-se de passagem.

Obs: Se isso não resolver, você pode tentar este tutorial. Mas faça por livre conta e risco!

Outro probleminha originado pelo controle esquisito do PSP: Speed Up. Eu gosto de jogar Gradius com 2 ou 3 Speed Ups na nave, a não ser nas fases mais "apertadas". Nesta coletânea, qualquer coisa acima de um mísero Speed Up é puro suicídio! Sim, você vai bater em alguma coisa, pois a porcaria do controle não aguenta o tranco! Enfim, fique com um Speed Up e seja feliz. Caso contrário, vai odiar o jogo... Mas, enfim, os defeitos acabam por aqui. Desde que você configure direito os botões e perca um tempinho se acostumando com o direcional, tudo vai bem.


Vai pegando Speed Up, vai !

No entanto, tudo que a Konami não trabalhou na jogabilidade, acabou por fazer na parte gráfica. Como todos sabem, Gradius é uma série que se iniciou em 1985, sendo assim, vários problemas de slowdown ocorriam no jogo, quando o hardware ficava sobrecarregado. Nesta coletânea, simplesmente todos os slowdowns foram removidos. Os jogos também receberam tratamento com filtros, anti-alias, tudo o que tinham direito, e o resultado final é muito bom. Você sabe que está jogando o original, mas tem a certeza de que alguém mais achou ruim os problemas que as versões antigas tinham. Mesmo em Gradius 2 e 3, onde logo nas primeiras fases ocorriam lentidões medonhas, isso foi corrigido. Ou seja, você joga todos os Gradius rodando lisinho, como se tivessem sido feitos para um hardware atual, e não emulados porcamente.


Gradius 1, rodando em modo Widescreen full.

Outro destaque vai para o widescreen presente no PSP, que aproveita muito bem o tamanho da tela. É possível jogar no modo normal ( 4:3), sem distorção no aspect ratio, wide (16:9) sem distorção, ou no modo full, que ocupa a tela toda e dá um pouquinho de stretch no video, mas fica sensacional! Alguns dos jogos ainda possuem um modo arcade de vídeo, maior ainda que o full, mas esse eu não gostei muito pois ele corta um pouco das bordas.

Comentários sobre os jogos:

Gradius: Versão do arcade clássica, podiam ter retrabalhado a música, pois ficou meio esquisita, mesmo sendo a original. Custava ter feito como em Raiden Project, da Seibu Kaihatsu, onde fizeram a coletânea com as trilhas originais e arrangement? Helo-o, Konami! Façam o dever de casa, por favor! :P

Gradius 2: Mesma reclamação acima. Simplesmente pegaram o jogo e tacaram aqui. Podiam ter usado a trilha sonora da versão PC Engine CD, que é fantástica, ou, pelo menos, dar uma retrabalhada no som. Fora isso, o jogo ficou maravilhoso sem flickers ou slowdowns.



Gradius 2 em Widescreen: Nada como matar galinhas flamejantes espaciais no café-da-manhã!

Gradius 3: O som deste aqui já é um pouco melhor, mas o que pegava eram os slowdowns nojeitos, ainda que o jogo seja maravilhoso - e que a versão de Super Nintendo seja simplesmente horrorosa de mal-feita. Mesmo a de arcade deixa um pouco à desejar, por causa das limitações de hardware. Enfim, posso dizer que finalmente saiu um Gradius 3 decente, rodando liso e sem flicker.

Gradius 4: Nunca gostei muito deste aqui. Acho o mais fraco da série toda, principalmente pelo fato do pessoal da Konami estar deslumbrado com "efeitos 3D" e zoarem totalmente o jogo experimentando coisas que, graficamente, ficaram horríveis (como os dragões dourados saindo de... hm... bolas douradas, logo na primeira fase). Se você tiver um pouco de estômago, até que ele melhora mais pro fim, mas não espere muito. A versão ficou perfeita, idêntica a do PS2.


Gradius 4: Esquisitão, mas bacana. Pelo menos até a aranha da penúltima fase! :P

Gradius Gaiden: Sem dúvida, um dos melhores jogos da série, o melhor na minha opinião, empatado com Gradius V de PS2. Ficou simplesmente perfeito, sem perder absolutamente nada da versão de PSX. Uma coisa que me intriga: Gradius Gaiden possui modo 2P simultâneos - Será que a versão de PSP suporta isso? Vale à pena tentar!

Mais algumas curiosidades:

Save State (a.k.a. "Loser Mode") - Se você é jogador de Pokemon, nasceu com duas mãos esquerdas, nunca jogou shooter na vida - mas está tentando a sorte em Gradius Portable - não se apavore! A Konami pensou em você. É possível pausar o jogo em qualquer momento e gravar o progresso, para depois voltar e continuar dalí.

Sound Test - Simplesmente todas as músicas dos cinco jogos. Mas, curiosamente, as músicas da versão do X68000 também estão lá!


Everybody loves X68000!

Jogando espaço fora (ou, cadê o Salamander ???) - Na abertura de Gradius 3, a própria Konami exibe Salamander como parte da série Gradius. Portanto, minha pergunta é, por que, então, eles não incluem Salamander, Life Force e Salamander 2 numa coletânea como esta? Afinal é um UMD, cabem 2Gb nele, dava para colocar além destes, Gradius Galaxies (GBA), os Gradius exclusivos de MSX (Nemesis 2 e Nemesis 3 - The Eve of Destruction), e os exclusivos de X68000 (como o Nemesis' 90), já que ele foi lembrado, e o Gradius V de PS2! Hardware para fazer isso tem de sobra, espaço de armazenamento também!


Dúvida existencial: Porque as pessoas não gostam de Salamander?

E a pergunta que não quer calar:

Será que não vai sair um Gradius exclusivo para PSP? Um com opção multiplayer e renderizado em 3D, no mesmo estilo de Gradius V?

6 comentários:

brunobelo disse...

Cara, Gradius Portable é fantástico. Eu ia postar um review hoje, mas vc foi mais rápido. O jogo é impressionantemente bom.

Mas eu discordo da parte do slowdown. Na segunda fase do Gradius 2, naquela parte em que as "mãozinhas" ficam tentando te pegar, deu um slowdown FUDIDO, coisa horrível mesmo. Não reclamei pq me ajudou, mas tem slowdown sim.

Mesmo assim, o jogo é foderoso. Quem tem PSP, se vire pra jogar!

Agripas disse...

Whoa, gostei do tutorial para "consertar" o direcional do PSP!

Saulo Santiago disse...

"Dúvida existencial: Porque as
pessoas não gostam de Salamander"

Epa! Eu gosto de Salamander!!

muriloq disse...

Você não precisava ter feito upgrade do seu firmware! O RunUMD permite rodar o Gradius Portable usando o firmware 1.5 mesmo, é o que fiz aqui...

Ryumaki disse...

Eu não fiz. Eu estava pensando eu fazer pra jogar o original.

Carol disse...

Afinal saiu o Salamander pra PSP?